• Equipa Clínica Navegantes

Pandemónio no estudo? Tentemos organizar-nos

De uma semana para a outra, a nossa vida mudou. Se todos nos vimos num momento único,

exigente e indubitavelmente difícil, aqueles que são pais têm a preocupação acrescida de fazer da sua casa um meio propício à aprendizagem à distância. São vários os exemplos de fatores com que as famílias têm que lidar: as idades dos filhos; a quantidade de estudantes em casa; ter os meios eletrónicos disponíveis; ter espaço para todos; trabalhar e dar suporte em simultâneo; conseguir compreender a informação enviada pela escola; vigiar e promover a autorregulação; manter um ambiente harmonioso para a aprendizagem. Como adultos e pais, sentimos que temos de manter a calma e ser reguladores. Será que somos capazes?

Deixamos algumas sugestões para que consigam organizar-se em tempo de pandemia.


1 - Sejam consistentes - Organizem os vossos dias


Façam um plano simples, orientador – vestir, pequeno-almoço, atividades escolares (aqui a ordem depende do que a escola sugere/impõe), almoço, tempo livre, exercício, banho, jantar. Ao organizar-se em modos gerais, pode ajustar com maior facilidade. Integre os planos de modo a que tenham momentos partilhados e ajuste o seu horário ao das crianças e vice-versa. Coloque os vários planos/organizadores num local visível a todos. No final de cada dia reflitam como correu, o que deve manter-se e o que deve ser alterado. Seja flexível! Pode distinguir dias mais exigentes com pequenos prémios/regalias (imagine a quarta feira de sobremesa ou as sextas de cinema com pipocas, seja criativo e ouça todos).


2 - Crie um espaço para o que o seu filho possa estudar


Talvez este espaço já exista em vossa casa. Pode ser o local onde habitualmente os trabalhos de casa são realizados, mas é fundamental que esteja livre de distratores – televisões, brinquedos, barulho – e tenha os materiais necessários antes de começar. Claro que sabemos que existem problemas práticos, como por exemplo, ter mais filhos em casa que locais perfeitos de estudo. Adapte, transforme, mas mantenha-os afastados para que não interfiram com o nível de atenção uns dos outros, principalmente se alguém tiver aulas/trabalho por videoconferência. Mantenha os mais pequenos, mais perto de si.


3 - Monitorizem o nível de compreensão dos conteúdos


Esta é uma questão fundamental. Os nossos alunos estão, na sua larga maioria, habituados a um método maioritariamente expositivo. Até agora, muitos estiveram a rever ou a praticar conceitos anteriormente dados, mas a partir daqui espera-se que seja diferente. Mesmo que os professores sejam exímios, a verdade é que estamos a pedir aos nossos filhos pela primeira vez que olhem para um ecrã o que, parece fácil se de videojogos hiperestimulantes se falasse, mas que na realidade é definitivamente menos apelativo em termos de concentração. Além disso, podem existir outros distratores em casa ou no próprio computador/tablet. Para os alunos com Dificuldades de Aprendizagem, este problema pode ser ainda maior. Por isso, estejam atentos às tarefas, façam perguntas sobre a matéria, falem com os professores (quando possível) e utilizem todos os recursos ao dispor. Utilizem os sintetizadores de voz para ler textos, acedam a plataformas para potenciar a aprendizagem multissensorial e as oportunidades de prática (Khan Academy, Escola Virtual, RTP Ensina, Visitas Virtuais a Museus), escrevam no computador.


4 - Façam exercício

Se existirem rotinas possíveis de serem mantidas, mantenha. Neste campo, existe um número de possibilidades infinito: dançar, Wii, cada dia um sugerir uma coisa diferente, fazer circuitos dentro de casa, aulas on-line, fazer videochamadas para aquele amigo efetivo nas aulas de grupo do ginásio. Sejam dinâmicos! Lembre-se que tempo de exercício é tempo ganho de atenção e energia para o estudo/trabalho.


5 - Mantenha a sua saúde mental


Se os pais estiverem bem, os filhos estarão melhor. Tentem manter o sentido de humor, mantenham rotinas de sono, aproveitem para fazer aquelas coisas que só dariam para fazer se “o dia tivesse 48 horas”, tentem respeitar os espaços/momentos de cada um, alternem tarefas domésticas. Enquanto pais, combinem e tentem ter aquele “me time”, combinem entre vocês para que alternadamente possam estar um pouco sozinhos e relaxar.


Dra. Cátia Sacadura - Psicomotricista e Especialista em Educação Especial

Clínica Navegantes


56 visualizações